quarta-feira, 9 de agosto de 2017

21 dias sem hidratos de carbono

Eu achei muito interessante a dieta Low Carb, no entanto não encontrei nada esclarecedor para os vegetarianos, também me apercebi que é muito parecida com a dieta da proteína que fiz quando consegui perder peso. Decidi experimentar, mas não à risca.

Afixei 21 dias para o arranque porque sinceramente estou cansada das minhas tentativas de reeducação alimentar, acabam por falhar dois ou três dias depois! Parece que, ao saber que ao ter um prazo curto para me “portar bem” faz com que eu tenha alguma paciência e ao mesmo tempo este prazo é suficiente para ver algum resultado e também porque, segundo alguns estudos, existe uma técnica de reprogramação do cérebro que torna em hábito algum comportamento repetido por 21 dias (funciona! Eu que o diga).

É bastante simples, fui às compras e enchi a dispensa com:
- Legumes
- Queijo
- Ovos
- Fiambre vegetariano
- Castanhas

No domingo fui cozinhar as marmitas para a semana e fiz:
- Sopa de abóbora
- Feijoada vegetariana (feijão preto, cogumelos, cenoura)
- Cozinhei duas postas de bacalhau e uma de pescada
- Cozinhei brócolos e couve-flor
- Favas guisadas com legumes e tofu fumado

Apesar de de me ter tornado vegetaria, só por mais algum tempo, voltei a consumir peixe, mas em pouca quantidade até eu conseguir elaborar pratos apetitosos. Quando tenho uma posta de um peixe cozida ou algum peixe grelhado é muito mais fácil comer vegetais e saladas sem ter vontade de comer arroz e farinha de mandioca.

Hoje é o terceiro dia e não senti vontade de cair em tentação e me sinto bastante calma, afinal são só 21 dias. Depois desses 21 dias já terei criado o hábito e já terei perdido algum peso o que vai facilitar a continuação.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

O poder do agora para curar a ansiedade


Eu sempre fui ansiosa, mas não era uma questão patológica, era uma ansiedade normal, daquelas do tipo: não conseguia esperar para saber sobre o resultado de alguma acção minha, ou sobre alguma conversa que teria que ter com alguém, etc…

A medida que fui ficando mais velha esta ansiedade foi se agravando e há um ano ficou em um estágio bastante alto, eu já sentia dores no peito, alguma dificuldade em respirar, vontade de chorar e havia dias que sentia a minha garganta apertada. Eu nem queria acreditar, pois achava que este tipo de doença era só para gente fraca e sem muita ocupação, puro preconceito!

De uma maneira casual encontrei no Youtube uns vídeos de um escritor e conferencista alemão chamado Eckhart Tolle e ele falava sobre o poder do agora, o poder de nos mantermos no momento presente e esvaziarmos a nossa mente de pensamentos, grande parte deles inúteis. Para compreender melhor esta teoria eu resolvi comprar o livro e já li a metade, o que já foi o bastante para eu regressar ao meu estado natural, sem a ansiedade como patologia.

Segundo o autor do livro os nossos pensamentos actuam de forma muito significativa na nossa vida influenciado os nossos sentimentos, e muitas vezes causa ansiedade, depressão e tristeza. Ele nos mostra que o passado já foi, não podemos fazer a respeito disto: se foi mal, tiramos lições sobre como agir da próxima vez que acontecer; se foi bom, melhor ainda, mas não quer dizer que devemos ficar presos nestas lembranças, foi bom enquanto durou.

Quanto a mim, por exemplo, eu fiquei durante muito tempo presa à saudade que sinto de uma pessoa que teve um grande impacto na minha vida, que me ajudou a emagrecer. Quando eu emagreci eu vivi momentos na minha vida nunca antes vividos e só quem já foi gordo e conseguiu emagrecer sabe bem do que falo: sentar de maneira mais confortável em bancos e cadeiras em locais públicos; vestir qualquer peça de roupa e se sentir bem; entrar em qualquer loja sem me sentir envergonhada; acompanhar os amigos numa grande caminhada sem ficar para trás; poder usar saltos altos e me sentir confortável; ir à praia sem me sentir envergonhada… Isto tudo e muitas outras sensações boas perdi quando voltei a engordar. E voltei e engordar porque fiquei pressa nesta saudade, neste passado, de modo que ninguém mais conseguiu me ajudar da maneira como esta pessoa me ajudou. Estar presa a esta lembrança não abriu mais hipótese para que eu conseguisse continuar com a minha vida numa boa.

Quanto ao futuro, é simples também, ainda não aconteceu e não sabemos como será, por isso não devemos pensar tanto nisso. Apenas pensamos no futuro de maneira prática: fazer planos para conseguir determinado emprego, prepararmos uma reunião que eventualmente iremos ter, preparar a nossa agenda para a semana, enfim, actividades práticas, nada do tipo: Meu Deus, o que será que o cliente vai perguntar? Eu saberei responder? Será que me vai pedir para fazer alguma coisa que não sei fazer? Esses pensamentos nos consomem muito e foram esses tipos de pensamentos que eu tinha no dia-a-dia que fizeram com que a minha ansiedade agravasse.

Não há nada como desfrutar do momento presente, pois quando estamos presos ao passado ou ao futuro, temos a sensação de que o tempo passa e nós não vivemos nada, temos sempre aquela sensação de que não há tempo para nada! Pois não há, não estamos a desfrutar o agora e tudo que ele oferece. Temos que usar o agora para poder ter um futuro mais tranquilo e aproveitar todo o tempo do mundo. Esta foi uma das primeiras lições que tive quando li o livro, ainda não estou a 100% livre dos meus pensamentos tóxicos, mas já melhorei bastante. Quando estes pensamentos vem na minha cabeça, trato de os afastar e passo a não pensar em nada, apenas presto mais atenção à minha respiração. Eu recomendo esta leitura para todas as pessoas, mesmo aquelas que não sofrem de ansiedade ou depressão.

Boa leitura!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Desafio pessoal 5kg

Hoje começo um desafio pessoal para tentar perder 5kg até o final do mês de julho. A minha estratégia é simples: Redução na alimentação e muito exercício físico.

Ontem passei umas horinhas na cozinha para preparar as marmitas para esta semana e cozinhei:
- Refoguei 300 g de caranguejo tirado;
- Cozinhei beterraba, cenoura, batata-doce e brócolos;
- Grelhei um bife de atum;
- Fiz uma salada de feijão encarnado.

As marmitas que montei foram:
- segunda-feira: Bife de atum com legumes cozidos e farofa de mandioca;
- terça-feira: Salada de feijão encarnado com tomate, cebola, caranguejo
- quarta-feira: Salada de feijão com legumes e farinha de mandioca

A partir de quinta-feira ainda não tenho marmitas montadas e só vou decidir o que fazer na quarta-feira à noite. Para os jantares vou fazer uma sopa de legumes que acompanho depois com uma fruta. Só aqui, pretendo perder uns 2kg! Será que dá?
 
Dá muito jeito tirar umas horas do domingo para planejar a semana, assim só confeccionamos alimentos saudáveis e não caímos na besteira de comer fora de casa.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Mudar aos poucos

A vontade da mudança deve partir de nós e ser apenas por nós, nada de fazer para agradar namorado, marido, família ou amigos, tem que ser por nós!

Não precisa também ser imediata, para este ano, para este verão, enfim... tem que ser no nosso tempo, sem ansiedades para que a adaptação ao nosso novo estilo de vida não se torne em algo temporário.

Os primeiros passos podem ser esses e não custam muito:
1º) Diminuir para 1/4 do prato a ingestão de hidratos de carbono
2º) Fazer caminhadas de 1h em ritmo médio
Deixe-se assim por algum tempo e não fique ansiosa por resultados, as coisas acontecem aos poucos...
Depois:
1º) Trocar os hidratos de carbono simples do primeiro passo acima por complexos: arroz integral, pão escuro e massa integral
2º) Alternar na caminhada um pouco de corrida, uns 30 segundos de cada vez que caminha 3 minutos

Perceberam a ideia? Mudar aos poucos o estilo de vida, sem pressa... Acredite que os resultados aparecerão!

Eu anotei umas listas de mudanças interessantes a serem feitas:
- Acabar de vez com o açúcar refinado, no caso de haver mesmo a necessidade de adoçar algo, usar o açúcar amarelo.
- Acabar de vez com os refrigerantes, mesmo em festas, acreditem são um veneno para o nosso organismo, não ganhamos nada com consumo deste veneno só a indústria que enriquece com a nossa desgraça.
- Tirar um ou dois dias para se ser vegetariana, eu já sou, mas você pode tirar um dia na semana e fazer essa experiência, o meio ambiente agradece. Há receitas tão interessantes na net de pratos vegetarianos! Eu pretendo partilhar os que eu mais faço aqui no blog.
- Abolir as frituras, acreditem que o óleo aquecido é cancerígeno, pretendo falar mais sobre isto aqui no blog.
- No verão abusar das saladas! E no inverno abusar das sopas!
- Andar sempre que houver uma oportunidade, descer uma paragem antes da sua, passear pela cidade, andar, andar, andar, correr, saltar, se mexer!

Em breve mais dicas da minha mudança e os resultados!

Paz para você!




sexta-feira, 14 de julho de 2017

Vamos então arregaçar as mangas!

No início deste ano eu alterei os meus hábitos alimentares e me tornei vegetariana, está a correr muito bem, não tive dificuldade em me adaptar. A carne animal não me fez falta, porém neste verão decidi fazer uma pequena alteração como medida de ajuda para o meu emagrecimento, vou voltar a consumir peixe.

 Na altura que eu perdi peso, eu não era vegetariana e comia muito peixe grelhado, acredito que este foi um grande factor de ajuda, no que toca a alimentação, para que eu obtivesse bons resultados, por isso vou repetir a dose, embora um pouco relutante por causa das minha convicções, mas como é temporário acredito que vá correr bem.

Esta medida vai ser adoptada apenas agora no verão, por tanto vai até meados de setembro e se o tempo bom se prolongar e o frio do Outono não aparecer mais cedo, posso prolongar um pouco mais. É que quando o tempo estiver mais frio vou adoptar as sopas no cardápio.

Só é preciso um pouco mais de consciência para ajustar a alimentação, já percebi que é preciso fazer uma grande redução no que eu consumo para poder conseguir algum peso. Estou a tentar interiorizar o seguinte conceito: o alimento é só para que o nosso corpo busque os nutrientes necessários para um funcionamento saudável, não para andarmos a comer até não poder mais, e a nos entupir com comida que só faz mal (açúcar refinado, gordura polinsaturada, alimentos cheios de substâncias insecticidas, etc). É uma questão de mentalização a habituação a um novo estilo de vida.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Resumo da caminhada

Penso que voltei a encontrar o meu rumo novamente, o choque de ter mudado de personal trainer me chamou a realidade e ainda o choque de estar a passar o verão andando mal vestida, pois as minhas roupas não ficam bem em mim ou mesmo há algumas que nem cabem mais em mim.
 
O verão é a estação que eu mais gosto e como ando insatisfeita com o meu peso, sinto que será passado em branco. Mas se eu me esforçar e trabalhar para valer, ainda consigo chegar até setembro mais satisfeita.
 
Estou a fazer um esforço financeiro e faço duas vezes por semana um treino de meia hora com a personal trainer, nos outros dias é suposto ir às aulas… suposto porque ainda não me encontrei motivada para ir às outras aulas, mas aos poucos vou regressando.
 
O importante nisto tudo é que os resultados têm vindo a aparecer, aos pouquinhos

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Prioridade

Como já sabem eu recuperei todo o peso que havia perdido e uma das caudas para que isto acontecesse foi ter deixado de dar prioridade para as coisas que são realmente importantes para mim.
Passei a ficar até mais tarde no trabalho e deixei de ir ao ginásio e mesmo o clima pesado do escritório só me fazia ficar mais ansiosa e com isto eu andava a comer o que não devia, perdi o foco.
A pesar do nosso trabalho ser importante para a nossa vida, temos que acreditar que há outros e que o mais importante é a nossa saúde física e mental.
Deixei de fazer horas e venho a correr para não perder uma aula no ginásio. Quanto à equilibrar a mente por causa da ansiedade que se agravou neste último ano, ando a pesquisar sobre meditação e equilíbrio de energias, temas que pretendo ir desenvolvendo mais aqui no blog a medida que for conseguindo trazer para a minha vida.
Namaste!